segunda-feira, 28 de julho de 2014

Homicídio é registrado na tarde desta segunda-feira, em Cuité


















FOI REGISTRADO NESTA SEGUNDA-FEIRA (28), UM HOMICÍDIO QUE VITIMOU MÁRCIO ARAÚJO DOS SANTOS, DE 28 ANOS, MAIS CONHECIDO COMO MÁRCIO DE ERIN. ELE É DA CIDADE DE NOVA FLORESTA E DE ACORDO COM INFORMAÇÕES JÁ HAVIA SOFRIDO UMA TENTATIVA DE HOMICÍDIO A CERCA DE 15 DIAS.

SEGUNDO TESTEMUNHAS, ELE VINHA CAMINHADO NA FEIRA PÚBLICA DE CUITÉ, POR VOLTA DAS 15H30, PRÓXIMO AOS BANHEIROS PÚBLICOS, COM UM RAPAZ (QUE TAMBÉM SERIA DE NOVA FLORESTA) QUANDO FOI ATINGIDO POR UM DISPARO DE ARMA DE FOGO E MORREU NA HORA.

O SAMU CHEGOU A SER ACIONADO, MAS MÁRCIO JÁ ESTAVA EM ÓBITO. A POLÍCIA FOI AO LOCAL PARA AS MEDIDAS CABÍVEIS.


O ASSASSINO TOMOU DESTINO IGNORADO.


TEXTO: 89.fm Cuité

sábado, 26 de julho de 2014

Adolescente mata jovem por dívida de R$ 10

Um adolescente de 15 anos foi apreendido, na noite desta quinta-feira (24), no município de Maxaranguape, após confessar um assassinato. A vítima, de acordo com a polícia, foi um jovem de 19 anos que tinha vendido um boné ao suspeito e foi cobrá-lo.

David Domingues Nascimento Fonseca sofreu três golpes no peito e morreu ao dar entrada no hospital da cidade. O tenente Silva Neto, comandante do Pelotão Destacado da PM na cidade, revelou que o houve uma perseguição para que o menor fosse apreendido.

“A ação dos policiais foi rápida ao ponto de o suspeito não ter apresentado nenhuma reação”, disse. Depois de apreendido, o adolescente informou que matou mesmo o irmão, mas até hoje nada que merecesse a esperança.

Fonte: PortalBO

43% dos açudes da PB estão em situação de risco

43% dos açudes da PB estão em situação de riscoA situação hídrica na Paraíba continua preocupante. De acordo com o boletim de registro do monitoramento dos açudes feito pela Agência Executiva de Gestão das Águas do Estado da Paraíba (Aesa), dos 123 reservatórios averiguados, 54 estão em situação de risco, ou seja, 43% dos açudes estão no máximo com 20% de sua capacidade preenchida, o que tem mantido o nível de alerta em algumas cidades no que diz respeito ao racionamento de água.

Desses 54 reservatórios que estão com pouco volume, 20 praticamente não oferecem mais qualquer tipo de fornecimento, já que a água acumulada é inferior a 5% da capacidade. Nos municípios de Taperoá e São José do Sabugi, o índice chegou a 0% de reserva.


De acordo com o setor de monitoramento da Aesa, a região mais atingida ao longo desse ano pelo grande número de cidades que sofreram sem os açudes acumularem água foi o Cariri e o Curimataú paraibanos, onde choveu apenas dentro da média esperada, que era de até 300 mm.

Pesquisa Correio: Cássio 45,5%, RC 29,2% e Vital 4,4%

Pesquisa Correio: Cássio 45,5%, RC 29,2% e Vital 4,4%O Sistema Correio de Comunicação divulgou, na noite desta sexta-feira (25), a primeira pesquisa eleitoral Correio/Souza Lopes, após os registros de candidatura na Justiça Eleitoral para disputa ao Governo da Paraíba. A pesquisa foi exibida na edição do 'Jornal da Correio' e revelou os seguintes dados de intenções de votos.

Cássio Cunha Lima (PSDB) lidera com 45,5%, seguido por Ricardo Coutinho (PSB), com 29,2%, e Vital do Rêgo Filho (PMDB), com 4,4%. Em quarto lugar aparece o Major Fábio Rodrigues (PROS), com 0,8%, acompanhado por Antônio Radical (PSTU), com 0,1%, empatado com Tárcio Teixeira (PSOL), também com 0,1%. Brancos e Nulos somaram 9,3%. 10,7% não sabem ou não opinaram.

Foram realizadas 1500 entrevistas com eleitores do Estado da Paraíba no período de 19 a 22 de julho de 2014, considerando um erro amostral máximo de 2,6 pontos percentuais, com um nível de confiança de 95%. 

A pesquisa foi registrada no TRE-PB sob o número: PB 00013/2014 - 20/07/2014 e no TSE sob o número: 00244/2014 - 20/07/2014 


Leia no Portal Correio.

PSB: 'RC perde na pesquisa e ganha nas urnas'

PSB: 'RC perde na pesquisa e ganha nas urnas'O coordenador de campanha da coligação “A Força do Trabalho”, que tem Ricardo Coutinho (PSB) como candidato ao governo do Estado, radialista Célio Alves, avaliou os números divulgados na primeira pesquisa eleitoral após o registro das candidaturas na Paraíba.

De acordo com Célio Alves, “o histórico de erro e manipulação das pesquisas, na Paraíba, fala por si só”. Segundo ele, “Ricardo é o político que perde na pesquisa e vence nas urnas”.
O socialista aparece em 2º lugar no levantamento feito pelo Instituto Souza Lopes, com 29,2% das intenções de voto.

Leia no Mais PB.

quinta-feira, 24 de julho de 2014

Três homens são mortos a tiros na porta de casa em João Pessoa

Um triplo homicídio foi registrado na noite de quarta-feira (23) na comunidade Mussumagro, no bairro Valentina Figueiredo, em João Pessoa. Três homens, de 19, 22 e 35 anos, estavam sentados em frente a casa em que moravam quando foram baleados, segundo informações da polícia.
De acordo com a Polícia Militar, uma das três vítimas tentou correr e fugir dos atiradores, mas não conseguiu e morreu a poucos metros da casa. As suspeitas são de que no imóvel onde as vítimas moravam funcionava um ponto de venda de drogas e que os três homens assassinados a tiros tivessem envolvimento com o tráfico na área.
Um outro jovem, que também morava na casa com as três vítimas, escapou dos tiros porque tomava banho no momento em que os atiradores se aproximaram do local. Segundo o jovem, quando os disparos foram ouvidos ele se abaixou. O delegado de homicídios, Pedro Ivo Soares, comentou que é precipitado adiantar quais as motivações do crime.
“De todos os motivos, nenhum dele está descartado. Trabalharemos nessa linha de investigação. Realmente pode ser que tenha alguma relação com o tráfico de drogas, ou qualquer outra motivação. Seria precipitado afirmar nesse momento, por isso vamos trabalhar em todas as linhas possíveis”, explicou.
Os corpos foram periciados pelo Instituto de Polícia Científica (IPC) e encaminhados para a Gerência de Medicina e Odontologia Legal (Gemol), onde vão aguardar por reconhecimento de familiares. Até as 8h desta quinta-feira (24), nenhum suspeito de participação no triplo homicídio havia sido preso.
Fonte: G1

De 0 a 10, eleitor dá ao governo Dilma nota 5,4

De 0 a 10, eleitor dá ao governo Dilma nota 5,4A propaganda eleitoral gratuita na TV e no rádio só começará em 19 de agosto, mas há um número que desde já parece indicar que a eleição de 2014 será mais difícil para a presidente Dilma Rousseff do que a de 2010: a nota média dada pelo eleitor brasileiro à administração atual.

Segundo a pesquisa Ibope/Estado/TV Globo, o governo federal está com nota 5,4 neste momento - mais de dois pontos abaixo da que Lula teve em junho de 2010, quando recebeu nota 7,8 dos entrevistados pelo instituto.

A diferença entre o humor do brasileiro em relação ao governo federal hoje e naquela época é grande. Se há quatro anos 72% dos brasileiros achavam que seu poder de compra e o das pessoas ao seu redor havia melhorado nos dois anos anteriores, agora apenas 42% acham o mesmo. A situação é parecida em relação às oportunidades de emprego: 56% haviam dito que elas haviam avançado em 2010, contra 36% atualmente.



Leia mais: Diário de Pernambuco

RC volta a alfinetar Cássio; confira!

RC volta a alfinetar CássioO governador Ricardo Coutinho voltou a exercitar sua artilharia contra o senador Cássio Cunha Lima, especialmente para propor um comparativo de obras entre seu Governo e o de Cássio. E fez questão de alfinetar o tucano: “Esse Governo age diferente de quem ficava na mídia saltitando e comemorando até pintura de meio fio.”

O candidato do PSB também rebateu críticas do senador sobre o fechamento de mais de 200 escolas na Paraíba: “O que nosso Governo acabou foram situações como a de Brejo do Cruz, onde uma escola tinha apenas um aluno: o marido da professora. Em Barra de Santana, a escola estava fechada havia dois anos e mesmo assim tinha 22 funcionários. O que eu tive foi algo que ele (Cássio) não teve: a coragem de proteger o dinheiro do povo.”

Ricardo também negou que não tenha nomeado efetivo para as policiais do Estado: “No governo dele, foram feitas 292 nomeações de policiais por ano. No meu governo, foram feitas 512 por ano. Praticamente o dobro, então não tem termo de comparação, sobre quem mais trabalhou para a Segurança Pública desse Estado.”

segunda-feira, 21 de julho de 2014

Homem mata mulher a facadas e comete suicídio no Bairro Paíso em Santa Cruz

A informação é do  Blog Paralelo Campestre:  Um crime chocou os moradores do bairro Paraíso em SANTA CRUZ -RN  na tarde dessa segunda-feira (21).

Segundo relato de um policial Militar, um homem de nome Raimundo Romero da Silva, conhecido por Pai Véi de 38 anos assassinou a golpes de faca sua companheira Maria José Gomes de Lima, conhecida pelo Márcia de 41 anos. No entanto logo após assassinar a mulher o companheiro da vítima cometeu suicídio por enforcamento. O crime aconteceu por volta das 15:00 horas. 

Dentro de instantes maiores informações.






FONTE: O Paralelo Campestre e Notícia da Serra

Veja destaca Cássio Cunha Lima como ficha suja que se aproveita de brechas na lei

Veja destaca Cássio Cunha Lima como ficha suja que se aproveita de brechas na leiO senador e candidato ao governo da Paraíba, Cássio Cunha Lima (PSDB) foi alvo de matéria da revista Veja de ontem em sua versão online. Na matéria, as jornalistas, Laryssa Borges e Marcela Mattos destacaram que o tucano foi alvo de processo e poderia ser enquadrado como ficha-suja, mas com as brechas da lei conseguiria, segundo a reportagem, assim como outros políticos, tentar se manter no poder, em algum cargo público, neste caso, como governador.


Confira a publicação:



Eleições 2014



As brechas na Lei da Ficha Limpa nas eleições pelo país

Ministério Público lança cruzada para barrar ao menos 360 políticos das eleições deste ano, mas tropeça em legislação nova e sem jurisprudência

escrito por: Laryssa Borges e Marcela Mattos, de Brasília


Criada em 2010 para promover uma depuração ética na lista de políticos que pleiteiam disputar cargos eletivos, a Lei da Ficha Limpa enfrentará seu mais duro teste em outubro e poderá banir das urnas políticos que, a partir de seus currais eleitorais, se perpetuavam impunes na administração pública. Pela primeira vez, a lei será aplicada a deputados, senadores, governadores e candidatos à Presidência da República.

Ainda que a lei esteja plenamente em vigor, o Ministério Público Eleitoral, responsável por contestar pelo menos 360 candidaturas – número que vai aumentar nas próximas semanas – com base na nova legislação de inelegibilidades até agora, prevê que políticos e advogados devem utilizar as mais diversas artimanhas para explorar brechas na Lei da Ficha Limpa e se apresentar normalmente como opção ao eleitor. Desde o início do mês, procuradores se lançaram em uma verdadeira cruzada contra políticos enrolados na Justiça, mas manobras e lacunas na lei acabam permitindo que corruptos sigam adiante nas urnas.

A exigência de ficha limpa nas eleições não é criação brasileira. Estados Unidos, Espanha, África do Sul, Uruguai, Luxemburgo, Austrália, França e Bélgica também têm legislações que impedem, em diferentes situações, a candidatura de condenados, mas nenhuma delas é tão abrangente quanto a versão sancionada no Brasil em junho de 2010. Entre os australianos, por exemplo, são inelegíveis para os cargos de senador e deputado federal pessoas penalizadas a mais de um ano de prisão, independentemente do crime cometido. Na Espanha, são barrados os condenados por terrorismo e crimes contra as instituições do Estado, mesmo que ainda recorram da sentença.


No Brasil, mesmo tendo sido apontada como marco moralizador na seara política, a Lei da Ficha Limpa não consegue retirar da vida pública boa parte dos candidatos enrolados com a justiça. Até a última sexta-feira, o banco de dados do MP registrava 605.081 informações sobre possíveis casos de inelegibilidade, que vão desde contas rejeitadas em municípios até condenações por tráfico de drogas e assassinato. Descontados os dados em duplicidade e as informações de pessoas que acabaram não se candidatando, é a partir dessa cifra que procuradores eleitorais partem para elaborar os pedidos de impugnação. Em todo o país, 1.850 candidaturas estão sendo contestadas por ações apresentadas pelo próprio MP ou por partidos e políticos.


Lacunas - Desde as últimas eleições, os procuradores mapeiam brechas que podem jogar por terra a inelegibilidade de um candidato e permitir que corruptos disputem normalmente o processo eleitoral. Para integrantes do Ministério Público, uma das principais lacunas da lei é a que permite que a Justiça suspenda a proibição do candidato disputar caso considere que ele pode reverter a condenação que o deixou de fora das urnas. O artigo 26-C da Lei da Ficha Limpa estabelece que “o órgão colegiado do tribunal (...) poderá, em caráter cautelar, suspender a inelegibilidade sempre que existir plausibilidade da pretensão recursal”.


"A nossa tradição era a de produzir efeitos das decisões judiciais depois que elas transitaram em julgado. Como isso não estava produzindo efeito, porque as decisões demoram uma eternidade, o legislador trocou esse valor da segurança jurídica pelos valores da moralidade. Mas isso gera um problema, porque se tem uma decisão que é reversível e pode deixar de acontecer até o fim da eleição. Se o juiz entender que o recurso é muito plausível e que aquela decisão parece estar errada, ele pode fazer isso. Mas é uma brecha que jogou a responsabilidade para o tribunal superior. O ideal seria que a inelegibilidade fosse decorrente do trânsito em julgado, mas que esse transito em julgado ocorresse logo", afirma o procurador eleitoral Elton Ghersel.


Entre as catorze hipóteses para barrar um político nas eleições, a Lei da Ficha Limpa também prevê, por exemplo, que condenados por improbidade administrativa sejam impedidos de disputar a preferência do eleitor. Mas no registro das candidaturas, nem a Lei Eleitoral nem resoluções do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) exigem que os candidatos apresentem certidões cíveis, documentos onde ficam registradas essas ações de improbidade. A partir do registro de cada candidato, o Ministério Público tem apenas cinco dias para contestar a pretensão do político ao cargo e corre contra o tempo para encontrar irregularidades.


Quando os procuradores se deparam com notórios fichas sujas, como o ex-prefeito de São Paulo, Paulo Maluf, e o ex-governador do Distrito Federal José Roberto Arruda, conseguem impugnar as candidaturas mesmo se eles marotamente tiverem omitido as certidões cíveis. Com um universo de mais de 24.000 candidatos nas eleições deste ano, porém, boa parte dos candidatos – desconhecidos – passa imune à peneira da Lei da Ficha Limpa. Situação parecida ocorre quando candidatos tentam ser eleitos após terem sido condenados por conselhos profissionais. A Lei da Ficha Limpa determina a inelegibilidade dos que foram excluídos do exercício da profissão por faltas ético-profissionais, mas no registro da candidatura não é exigido nenhum atestado de nada consta de conselhos profissionais. Mais uma vez, cabe ao Ministério Público organizar um mutirão para encontrar os condenados profissionalmente e questionar suas candidaturas.


Em 2012, quando a Lei da Ficha Limpa foi aplicada pela primeira vez, a reprovação de contas de prefeitos e vice-prefeitos foi a principal causa de registros negados pela Justiça Eleitoral. Mas também neste ponto da lei os fichas sujas utilizam interpretações conflitantes nos tribunais para seguir em frente com as candidaturas. Embora alguns tribunais tenham considerado que a rejeição de contas é suficiente para tornar o candidato inelegível, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) tem decisões que exigem a reprovação das contas também pelos legislativos municipal, estadual ou pelo Congresso, o que permite que políticos avancem no processo eleitoral mesmo com aparente violação à Lei da Ficha Limpa.


"Antes, ao se deparar com uma irregularidade, o próprio tribunal de contas poderia declarar um candidato inelegível. Hoje tem de ser um ato de improbidade doloso e será o juiz eleitoral que dirá se a prática foi ou não proposital. Com essa mudança, o caso para na Justiça e torna o processo muito mais demorado. São tantas ações que talvez o MP não consiga aplicar tudo que saiba. Eles não têm tempo. Com isso, um ou outro candidato irregular acaba sendo beneficiado e liberado para disputar as eleições", afirma Walter Costa Porto, ex-ministro do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).


Pelo fato de as novas regras de inelegibilidade terem sido aplicadas apenas nas eleições de 2012, quando foram eleitos prefeitos e vereadores, a Justiça Eleitoral ainda não enfrentou todas as possibilidades de questionamento da lei, o que amplia ainda mais as brechas e contestações judiciais. O ex-governador do Distrito Federal José Roberto Arruda, por exemplo, foi condenado em segunda instância por improbidade dias depois de apresentar o registro de sua candidatura na Justiça Eleitoral, mas poderá receber aval para concorrer e ficar inelegível apenas em 2016. A brecha que beneficia o político se baseia no fato de o Supremo Tribunal Federal (STF) ter decisões segundo as quais o único momento para enquadrar os políticos na Lei da Ficha Limpa é o registro da candidatura, quando Arruda ainda não tinha sido penalizado pela justiça.


"A lei precisa ser interpretada e agora é hora de os tribunais fazerem construções jurisprudenciais. Doutrina e jurisprudência são justamente o que aperfeiçoariam a aplicação da Ficha Limpa. É, sem duvida, o que deve acontecer de agora em diante. A lei é nova e ainda não tem casos precedentes", aponta o ex-presidente do TSE Carlos Velloso. "A lei foi avanço enorme no processo eleitoral brasileiro. Se existe alguma brecha, nós vamos sustentar a aplicação em sua inteireza", afirma o procurador-geral da República, Rodrigo Janot.

Na Paraíba

Ex-governador da Paraíba, o senador Cássio Cunha Lima (PSDB) tenta voltar ao posto mesmo após ter sido condenado por abuso de poder político e econômico durante campanha à reeleição. Segundo a Justiça, ele distribuiu 35.000 cheques para eleitores sob o argumento de se tratar de um programa assistencial e promoveu sua candidatura em um jornal oficial. Apesar de ter a candidatura impugnada pelo MP, o senador alega que já cumpriu a pena de três anos e que, mesmo se forem aplicados os oito anos de inelegibilidade, o prazo também já teria se encerrado.


Confira a matéria no site clicando aqui



Veja

Cinco morrem em tentativa de assalto na PB

Cinco morrem em tentativa de assalto na PBUma tentativa de assalto na residência de um policial deixou cinco assaltantes mortos, após uma troca de tiros com a polícia, na tarde desta segunda-feira (21) em Lagoa Seca, no Agreste paraibano. Durante a troca de tiros, o policial e duas mulheres também foram atingidos. Todos os feridos foram levados para o Hospital de Emergência e Trauma de Campina Grande.

Segundo as informações do Centro Integrado de Operações Policiais (Ciop), por volta das 12h, o policial militar dormia dentro de sua casa, no sítio Lagoa de Baixo, quando quatro assaltantes invadiram o local. O quinto homem ficou do lado de fora, dando cobertura durante o crime.


Fonte: G1 Paraíba e ResumoPB